breadcrumbs
  1. Home
  2. Comunicados de Imprensa
  3. 2013 Q3

Continental eleva a meta da margem EBIT ajustada para ao menos 10,5 por cento no ano de 2013

Nov 7, 2013

  • Em nove meses, o faturamento chegou a 25 bilhões de euros
  • O resultado operacional ajustado ficou em torno de 2,8 bilhões de euros, com uma margem de 11,3 por cento
  • O faturamento do Grupo deve subir para cerca de 33,5 bilhões de euros em 2013

Hannover, 07 de novembro de 2013. Graças a um desenvolvimento empresarial positivo, nos primeiros nove meses a Continental elevou a previsão da margem EBIT ajustada do ano atual, de 10% para ao menos 10,5%. Além do bom desenvolvimento operacional, o desenvolvimento dos preços de matéria-prima foi um fator importante, em especial no caso da borracha sintética, que aumentou de maneira menos acentuada do que o esperado. "Apesar do fraco mercado automobilístico europeu, pudemos continuar no caminho do sucesso. No entanto, percebemos ao mesmo tempo uma estabilização do desenvolvimento comercial na Europa", explicou o Presidente do Conselho Administrativo, Dr. Elmar Degenhart, na quinta-feira, durante a entrega do demonstrativo de resultados após nove meses. Ele também ressaltou que o faturamento do Grupo para o ano todo vai aumentar para aproximadamente 33,5 bilhões de euros. Este aumento está levemente abaixo das suposições iniciais. O motivo aqui é a inesperada e elevada valorização do euro em relação a muitas outras moedas.

Nos primeiros nove meses deste ano, o faturamento do Grupo da fornecedora automobilística, fabricante de pneus e parceira industrial internacional subiu 1,2% em comparação com o mesmo período do ano passado, para mais de 25 bilhões de euros. Em 30 de setembro, o resultado operacional (EBIT) foi elevado em 4% para mais de 2,5 bilhões de euros, em comparação ao ano anterior. Isso corresponde a uma margem de 10,1% após os 9,8% do ano passado. O resultado operacional ajustado (EBIT ajustado) aumentou 3,1% nos três primeiros trimestres em comparação com o mesmo período do ano anterior, alcançando em torno de 2,8 bilhões de euros. A margem EBIT ajustada ficou em cerca de 11,3% e, portanto, acima do valor de 11% após os primeiros nove meses do ano de 2012.

O resultado do Grupo distribuído aos acionistas aumentou 8,5% nos primeiros nove meses deste ano, alcançando quase 1,6 bilhões de euros. Desta forma, o resultado por ação aumentou para 7,88 euros por cada ação, depois de 7,26 euros no período correspondente do ano anterior.

A Continental reduziu seu endividamento financeiro líquido em mais de 1,2 bilhões de euros em comparação com o ano anterior, caindo para 5,6 bilhões de euros. O índice de endividamento, o chamado Gearing Ratio, melhorou, passando para 61,6%, em comparação com os 87,1% do ano anterior. "Nos anos anteriores, trabalhamos continuamente para baixar nosso endividamento financeiro líquido e, com isso, melhorar os nossos indicadores financeiros", resume Wolfgang Schäfer, Diretor Financeiro da Continental AG. "Esse trabalho persistente agora está trazendo frutos e se reflete, no mínimo, nas últimas estimativas das agências de classificação de risco. Com isso, encontramos o caminho para possibilidades de financiamento favoráveis a longo prazo", complementa. Já em julho, a agência de classificação de risco Fitch qualificou o crédito da Continental na "Investment Grade" e a Moody's fez o mesmo em meados de setembro.

A Continental aprimorou seu Free Cash Flow nos primeiros três trimestres em 246 milhões, para 414 milhões de euros. O aumento se deu devido à venda de sua parte na empresa S-Y Systems. "Para o ano completo esperamos um Free Cash Flow de, no mínimo, 800 milhões de euros", afirma Schäfer.

Nossa despesa com juros, no valor de 416 milhões de euros, está levemente abaixo do valor do ano passado, de 432 milhões de euros, embora o valor deste ano de despesas com juros tenha sido sobrecarregado pelo pagamento antecipado dos títulos contraídos há três anos. "A liquidação de nossos títulos emitidos no ano de 2010 e a emissão nos últimos meses de três novos títulos com cupons de juros significativamente mais baixos nos ajudarão a economizar mais de 100 milhões de euros em juros a partir de 2014", explica Schäfer.

O Grupo Continental investiu nos primeiros três trimestres deste ano um total de aproximadamente 1,3 bilhões de euros em ativos fixos e software. Depois de nove meses, a cota de investimentos ficou em 5,4%, depois dos 5,1% no mesmo período do ano passado. As despesas com pesquisa e desenvolvimento chegaram a 1,5 bilhões de euros no período entre janeiro e setembro, e correspondem a uma cota de 5,9% do faturamento, em comparação com uma cota de 5,5% no ano anterior. "Além disso, nós investimos muito na sustentabilidade de nossa empresa. Isso pode ser confirmado por nossas taxas de investimento que se mantêm altas, bem como pelos investimentos em pesquisa e desenvolvimento, que foram levemente ampliados", reforça Degenhart.

No final do terceiro trimestre, a Continental empregava 177.387 funcionários. Isso equivale a um aumento de mais de 7.700 pessoas em comparação com o final do ano de 2012.
As razões para esse aumento são especialmente as inclusões de produtos no Automotive Group, bem como as ampliações da capacidade no Rubber Group.Após nove meses, o Automotive Group alcançou um faturamento levemente mais alto em comparação com o mesmo período do ano passado, no valor de 15 bilhões de euros. A margem ajustada de 7,9% se manteve exatamente no mesmo nível do ano anterior. O Rubber Group também obteve nos primeiros três trimestres um faturamento levemente mais alto, de mais de 9,9 bilhões de euros, e, com 17,3%, alcançou uma margem ajustada acima do valor de comparação do ano passado, de 16,2%.

Dados mais importantes do Grupo Continental:

1 de janeiro a 30 de setembro

Terceiro trimestre

Milhões de €

2013

2012

2013

2012

Faturamento

24.923,9

24.640,5

8.349,6

8.134,3

EBITDA

3.801,8

3.690,9

1.322,5

1.198,3

em % de faturamento

15,3

15,0

15,8

14,7

EBIT

2.516,9

2.420,2

886,3

766,8

em % de faturamento

10,1

9,8

10,6

9,4

Resultado do Grupo a distribuir aos acionistas

1.576,0

1.452,4

434,1

449,2

Resultado por ação (em €)

7,88

7,26

2,17

2,25

Faturamento ajustado¹

24.789,9

24.614,4

8.306,2

8.108,2

Resultado operacional ajustado (EBIT ajustado)²

2.794,3

2.709,3

1.017,4

854,2

em % do faturamento ajustado

11,3

11,0

12,2

10,5

Free Cash Flow

414,2

168,3

502,4

41,9

Endividamento financeiro líquido (em 30.09)

5.589,7

6.802,2

Gearing Ratio em %

61,6

87,1

Número de funcionários (em 30/09)³

177.387

169.909

1  Ajustado em alterações do círculo de consolidação.
2  Ajustado em amortizações de ativos intangíveis de alocação do preço de compra (PPA), alterações do círculo de consolidação e efeitos especiais.
3  Sem estagiários.