breadcrumbs
  1. Início
  2. Segurança
  3. Future Mobility

Como conseguimos um mundo sem acidentes?

100 metros                                               
Com um alcance de 100 metros à frente, a nossa câmara estéreo consegue detetar antecipadamente objetos e limitar o risco de acidentes de colisão através da ativação do assistente de travagem de emergência. A uma velocidade de 50 km/h, 10 metros de distância em relação ao veículo da frente são suficientes para assegurar uma paragem atempada.   

Cada acidente é um acidente a mais, sobretudo quando provoca ferimentos ou até mesmo vítimas mortais. Considerando o constante crescimento do fluxo de tráfego, com aproximadamente mil milhões de veículos em todo o mundo, a segurança da mobilidade torna-se um desafio central para a sociedade, a indústria e a política.

Na Division Chassis & Safety, desenvolvemos tecnologias para uma maior segurança e dinâmica de veículos. Sistemas de segurança ativos, tais como sistemas eletrónicos de assistência ao condutor e de travagem, avisam acerca de perigos e atuam de forma a auxiliar na direção, na dinâmica de travagem e na condução. Ajudam a compensar erros humanos, responsáveis por grande parte dos acidentes. Os sistemas de segurança passivos, tais como os airbags e equipamentos para proteção dos peões, asseguram a melhor proteção possível caso venha mesmo a ocorrer um acidente.

O que foi feito exatamente para que não aconteça nada?

Para nos aproximarmos do objetivo de um mundo sem acidentes, não nos contentamos com soluções individuais. Com o ContiGuard®, a Continental combinou elementos de segurança de condução ativa e passiva, que salvam salvar vidas, e formou um conceito inovador. A ligação em rede exclusiva fornece vantagens claras, tais como distâncias de travagem mais curtas, uma proteção abrangente dos ocupantes do veículo e dos peões contra ferimentos, a prevenção de acidentes ou a redução da sua gravidade. Na prática isto reflete-se em:

1. Condução normal
Reguladores de velocidade inteligentes e dispositivos de aviso informam o condutor sobre a distância relativamente ao veículo que circula à sua frente. As informações fornecidas pelas câmaras, a intervenção na direção e o sistema de alerta de passagem involuntária do traço contínuo permitem manter melhor a trajetória.

2. Situações de perigo
Em caso de piso escorregadio e perigo iminente de derrapagem, o controlo eletrónico de estabilidade (ESC) ajuda a estabilizar atempadamente o veículo, atuando nos travões, na direção e no motor.

3. Antes do acidente
Se, apesar de avisos antecipados, o condutor não reagir ou não o fizer suficientemente, serão iniciadas todas as medidas para proteção dos ocupantes e de outros utentes da estrada (por exemplo, redução da velocidade de impacto através de um assistente de travagem de emergência).

4. Durante o acidente
Em caso de impacto, todos os sistemas parciais como, por exemplo, os dispositivos de controlo dos airbags e os sensores de acidente, estão perfeitamente sincronizados.

5. Após o acidente
Pouco após o primeiro impacto, são iniciadas todas as medidas para evitar ou atenuar qualquer outro possível impacto. Adicionalmente, podem ser automaticamente chamados os serviços de socorro.

Será que todos se podem dar ao luxo de ter segurança?

A "Vision Zero" determina que a segurança não pode ser um privilégio de apenas alguns. Hoje em dia já estão disponíveis tecnologias para esse efeito para quase todos os automóveis. A distribuição de tecnologias de segurança inovadoras vai ser promovida tanto pela legislação a nível mundial, como também através de novos requisitos para obtenção de cinco estrelas na classificação Euro NCAP (European New Car Assessment Program).

A Continental não só está perfeitamente preparada para esta tendência de "segurança para todos" como também ajuda ativamente a defini-la. O nosso conceito de segurança ContiGuard® segue um princípio modular e escalonado, para que seja possível incluir segurança em todas as classes de veículos.

4 áreas comerciais
Vehicle Dynamics, por exemplo, sistemas eletrónicos do chassis; sistemas de suspensão pneumática; sistemas de travagem antibloqueio (ABS), também para motociclos; controlos eletrónicos de estabilidade (ESC)
Hydraulic Brake Systems, por exemplo, travões de disco, de imobilização, de estacionamento e de tambor; bombas de vácuo eletrónicas; servofreios  
Passive Safety & Sensorics, por exemplo, sistemas eletrónicos de airbag; sensores para a velocidade das rodas, sistemas de travagem e de controlo do chassis, para monitorização da bateria e proteção de peões
Advanced Driver Assistance Systems, por exemplo, assistentes de travagem de emergência, sistemas de alerta de passagem involuntária do traço contínuo, sistemas de monitorização de ângulos mortos e "Surround View" de 360 graus